Blog

E o café se fez poesia!

E chegamos ao grande dia! O dia do resultado final do nosso Concurso de Poesia!

A Vimi sorveu cada verso, como o café mais gostoso que há. Foram goles degustados bem devagar para não desperdiçar nenhum pouquinho do sabor, da delícia destes arranjos poéticos, da costura das letras e do que mais nos permitiu chegar a tão singular resultado. Estamos felizes e orgulhosos de tudo isso: do nosso café, dos nossos poetas, por oportunizarmos que eles se juntassem, se misturassem e se frutificassem num mesmo espaço. Na Vimi, música, café e poesia são ingredientes da nossa razão de ser! Agora, confira aqui as poesias vencedoras:

1º Lugar:

CADASTRO Nº: 84

PSEUDÔNIMO: Tio Ed

NOME: Edimar Rodolfo

 

UM LIVRO E UM CAFÉ 

Na foto, Eduardo Galeano lá no Uruguai

se senta no Café Brasileiro

Enquanto isso em Três Pontas: Esse café é da nossa cidade, pai?

Pergunta um moleque ligeiro

Com expressão de dúvida, o pai

enrola um pequeno palheiro

e responde: É claro, uai!

Se é de Três Pontas, é brasileiro

O mundo sorri pr’o menino

na hora da merenda na roça

tomando um café bem docinho

pensando no que mais gosta

café e livro, livro e café

filho de lavrador, poeta é

Seu pai logo se levanta

hora de voltar. Pois é!

Enxada no ombro, bênçãos da Santa

chapéu contra o sol e fé

pra cuidar da fruta que virá

da florzinha branca

da lavoura mais verde que há

e da safra cheia de esperança

Pois nesse chão

café é sustento e brinquedo

desculpa pra paixão

aroma gostoso logo cedo

Mas café também é labuta

às vezes a chance única

de um povo que não foge da luta

e que vai vencer, se Deus quiser

Se Deus quiser

livros e café

Filho de lavrador

poeta é…

 

2º lugar:

envelope 13

Lívia de Souza Ferreira – pseudônimo: Lilly

 

CAFÉ EM DOCES VERSOS 

Café com doce sabor

E aroma natural

Que representa a mulher

De perfume sem igual

 

Ouro Negro do país

A riqueza dessa terra

É de Minas do Brasil

Pelos vales e suas serras

 

Para visita está na mesa

Pão de queijo com certeza

No fogão com forno a lenha

Bolo de fubá a mesa venha

 

Em Três Pontas é orgulho

Não me canso de dizer

Capital mundial do café

Sem palavras para descrever

 

Preciso dele para despertar

Logo de manhãzinha

Venha tomar café conosco

Em forma de poesia

 

3º Lugar

 

CADASTRO Nº: 146

PSEUDÔNIMO: G. F. Borges

NOME: Gabriely Ferreira Borges

 

O SABOR QUE FAZ HISTÓRIA

Das mãos do trabalhador

À mesa dá sabor

O café nosso grão de grande valor

Uma combinação perfeita para o frio e calor.

O aroma que encanta

Dessa magnífica planta

A flor , o fruto o grão.

Em cada combinação, com rosca, bolo e pão

Essa bebida une vidas

Muitas por ela erguidas

Tem gosto de infância

E encurta muitas distâncias.

Das terras dos mineiros

Chegando até ao estrangeiro

Com a força do brasileiro

Rompe fronteiras do mundo inteiro.

E assim ao redor da mesa, ou de um balcão.

Nasce inspiração

Bebida forte, que revigora

Dá sabor ao futuro e principalmente ao agora

 

4º Lugar

CADASTRO Nº: 150

PSEUDÔNIMO: Corina

NOME: Alyce Raiane Jales de Lira

 

SABOR DE POESIA

Tem gosto do pôr do sol.

Tem sabor de Utopia.

Tem gosto da Noite Escura,

Da insônia sem companhia.

Sendo doce ou amargo,

Tem sabor de poesia.

Tem gosto da vida triste,

E da vida em alegria.

Tem gosto da meia noite.

Da madrugada vazia.

Tem gosto de uma canção

Que cantei pra tu um dia.

Tem gosto de um puro gosto

Gostoso para provar.

Tem sabor do saber da vida.

Tem gostinho de doce lar.

Tem gosto do cantar dos pássaros.

Têm sabor do recitar.

Tem gosto do tempo vazio

E do Amanhecer do dia.

Tem gosto daquele rádio

Na mais bela sintonia.

Este café que escrevo

Tem sabor de poesia

 

5º  Lugar

CADASTRO Nº: 143

PSEUDÔNIMO: Tomomeu Café

NOME: Plínio Martins Goulart

 

SE VOCÊ ME AMAR

 Se você me amar

Arrume um pedacinho de chão para plantar

Mas não é simples assim,

Tem que madrugar para o pedacinho de chão preparar!

Arar, plantar, aguar,

Crescer!

Novamente madrugar para colher!

Colocar as luvas nas mãos,

Pegar até os do chão,

De um precioso tesouro,

Não se perde um tostão!

Lavar, secar, torrar,

Hummmmmmm!

Já sinto aquele cheirinho!

Mal consigo esperar!

Água para aquecer,

Um pouco de açúcar para adoçar!

Dizem que não pode ferver,

Mas se ferver, deixa estar!

Agora, como um bom mineirinho,

É só pedir com carinho,

BENZIIIIIINHO!

Me faça um cafezinho?

Se você me amar!

 

6º Lugar

Concurso de Poesias Vimi Café

CADASTRO Nº: 27

PSEUDÔNIMO: Edu Lima

NOME: Eduardo Lima Alves

 

CAFÉ É VIDA!

 Mais uma xícara…

Por favor,

Lembranças, memórias…

Andanças.

Encontros e desencontros…

Vividos com amor.

Mais uma xícara…

Por favor,

Assim contamos…

Nossas histórias de vida.

Desafios, tristeza e alegria…

Sorriso e dor.

Sempre e todo dia…

Ao começar cada manhã,

Ao nascer e ao pôr do Sol…

Estaremos com fé,

Que tudo vai ser melhor…

A cada gole de café!

 

7º Lugar

CADASTRO Nº: 24

PSEUDÔNIMO: Psique

NOME: Gleice Kelle da Silva

 

UM FELIZ TODOS OS DIAS COM CAFÉ

Ah! que lembranças que me traz

O cafezinho que só Minas faz

Memórias de criança, histórias da infância

Um aroma único e incomparável

Um sabor peculiar e adorável

Como é bom um café quentinho,

nos dias frios para esquentar,

e nos dias de mais calor, um preparo

gelado para refrescar.

De diferentes maneiras e receitas, o café

possui um jeito especial de nos encantar

Sozinho ou acompanhado

O café é sempre um aliado

No dia a dia ou em comemorações

Seu sabor, sempre desperta emoções

 

8º Lugar:

Envelope 18

Maria Helena Gabriel de Oliveira – pseudônimo: Maria da Roça

 

A FRORADA DO CAFÉ

A chuva fina chega na roça

Junto com o canto do sabiá

E vem puxano a primavera

Que encheu de fror o cafezá

 

Maria corre e grita José

Que prometeu cum ela casá

No mesmo dia que amanhecesse

Cuberto de fror todo cafezá

 

Assim Maria chega na igreja

– Que perfume é esse que chega no artá?

Esse perfume é do buquê da noiva

Feito cum frores do cafezá

 

E no barraco de chão batido

Toca sanfona o seu Mané

Na peneira, muita quitanda

E na chaleira, tinha café

 

Rosto suado o sertanejo

Tira o chapéu demonstrano fé

Olha pru céu, agradece a Deus

Por esta terra e pelo café!

 

A VImi agradece cada participante que dedicou tempo para elaborar os seus versos e nos enviar. Nossa gratidão também a comissão julgadora pelo envolvimento, comprometimento seriedade e  interesse. Um país melhor se constrói com a valorização da arte. Cremos nisso. Hoje somos todos poesia!

8 comentários em “E o café se fez poesia!

  1. Olá!
    Agradeço por participar dessa oportunidade saborosa.
    Até o próximo concurso.
    Parabéns! Para os meus amigos vencedores.

    Chicomattos.

  2. Quanta riqueza em cada verso! Estou encantada com a criatividade de todos os participantes. Me sinto honrada de estar entre os oito finalistas. Parabéns Vimi pela elaboração desse projeto magnífico.

  3. Quanta riqueza em cada verso! Estou encantada com a criatividade de todos os participantes. Parabéns Vimi pela elaboração desse projeto magnífico.

  4. Parabéns, aos felizardos que vão ilustrar os cafés, por aí… Também estou feliz! Não fiquei entre os 08 mas, fiquem entre os 30. Até o próximo concurso. O importante é participar, versar sobre um amigo de todas as horas… o café!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *